quarta-feira, 23 de setembro de 2009

A luz sob as sombras

O livro A Sombra do Vento do espanhol Carlos Ruiz Zafón é um tributo ao livro. Novo, antigo, clássico ou popular. O bom e velho livro: algo palpável, finito, mas capaz de encerrar muito mais que palavras. Sentimentos e mundos inteiros, como universos paralelos, aguardando, latentes, prontos a se expandir num hipnótico big bang ante um leitor desavisado. Nele encontramos o ápice do prazer da leitura como entretenimento, sem culpa. Nele compartilhamos o deleite de uma criança que descobre o prazer da leitura. Nele nos é oferecida uma visão peculiar da importância da preservação da cultura e do medo do obscurantismo, do esquecimento.

A trama se desenrola na cidade de Barcelona, na Espanha em plena ditadura franquista. A época sombria da história se reflete tanto no clima apresentado na narrativa quanto nos prédios e na personalidade de alguns personagens. O menino Daniel Sempère, órfão de mãe, no dia de seu aniversário, é levado pelo pai, dono de um pequeno alfarrábio, ao “Cemitério dos Livros esquecidos”. Numa espécie de rito de passagem, pelo qual ele mesmo já havia passado, em meio a corredores mal iluminados e centenas de estantes, ele é convidado pelo pai a escolher, entre incontáveis prateleiras e recantos, um livro. Um livro especial pois ele jamais poderia desfazer-se dele. Mas a maneira pela qual ele é atraído pelo livro indica que foi o livro que o escolheu e não o contrário. Sua fascinação pelo livro e por Julian Carax, seu misterioso autor, arrasta Daniel para um mundo de segredos, intrigas e mentiras. Essa busca aprisiona voluntariamente Daniel durante muito tempo.

O livro envolve o leitor desde o início. Zafón dosou romance, mistério, tragédia e humor de forma inteligente e cativante. Ele mistura a história de dois jovens (Daniel e Carax) em épocas diferentes - seus medos e sonhos, sentimentos e frustrações. Coincidências estratégicas entre os dois ampliam a aura sobrenatural do romance. É uma narrativa ágil, cheia de implicações e retornos. Com uma profusão de informações e evidências nem sempre verdadeiras, chegamos a duvidar de um arremate digno da saga. Um livro do tipo que não se consegue largar sem muito esforço. Daqueles que presenteamos a alguém para instigá-lo ao gosto pela leitura. A fascinação de Daniel por Carax contagia o leitor: o desejo em descobrir o que lhe acontecera, o motivo de todos os seus livros terem sido queimados e porque a morte rondava a todos que se infiltravam no misterioso passado de seu autor.

A Sombra do Vento
Carlos Ruiz Zafón
Romance 464 páginas
Tradução: Márcia Ribas
ISBN: 8573026049
Preço médio: R$38,00

Escrevi (na mesma tarde em que fiz a crônica) quando um grande amigo me falou sobre uma colocação temporária, para cobrir as férias de um dos repórteres de um caderno de cultura local. Não me ajudou a conseguir a vaga, mas foi a minha primeira (e única) resenha literária. Acho que vou tentar mais vezes para afinar o estilo e convercer melhor. ;-)

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário no blog da Adriana Cirqueira

Ocorreu um erro neste gadget